Fredy Bourbon



Escrito por orlandeli às 18h09
[ ] [ envie esta mensagem ]



Quem te viu...

"QUEM TE VIU, QUEM TE VÊ "

por Orlandeli

- Ridículo! Simplesmente, ridículo! Até agora não sei como você me convenceu a vir aqui! Ridículo....
- Pois deixe de bobagem. Tá super na moda. Além do que, são seios alemães, ouviu bem... A-le-mães!
- Pode me chamar de nostálgico, mas gosto da coisa “in natura”. Sem essa de encher aqui... Esticar ali....
- Ah, Arnaldo. Mi polpi, tá? Moço, não liga pra ele não. Eu vou levar esse par aqui, ó. Os alemães. São alemães, mesmo, né?
- Claro, minha senhora. Alemães legítimos. Top de linha.
- Ai, não vejo a hora de sair por aí, de peito novo....
- E o senhor, não vai levar nada?
- Húm? - Arnaldo estava distraído, olhando a seção de nádegas.
- O senhor! Tem certeza que não quer levar nada? Olha que a dona Sueli tá de peito novo, heim... Vai fazer o maior sucesso.
Sueli deu uma risadinha. Toda orgulhosa.
- Ôôô, meu rapaz. Fique sabendo que não tenho o menor interesse em mudar o que Deus me deu. Ouviu, bem?!
- Imagina, meu senhor. Nem é essa a nossa intenção. Digamos que é só uma... “reciclada”. Algo pra você sentir-se bem consigo mesmo.
- Mas eu já estou bem comigo mesmo.
- Sim, claro... não foi isso que eu quis dizer. Mas, por exemplo. Olha esse abdômen. Modelo tanquinho. Tá super em conta. Tenho certeza que o senhor iria gostar.
- Ai, Arnaldo. Bem que você podia trocar essa barrigão, mesmo, né? Olha! Que indecência!...
Arnaldo olhou para a própria barriga e realmente, nos últimos anos andou exagerando nas guloseimas e na cerveja com os amigos. Talvez fosse a hora de dar uma “reciclada”, como bem disse o vendedor.
- Sei não... Por acaso vocês trabalham a base de troca?
- Deixa de ser ridículo, Arnaldo. Quem iria querer uma panção desses?!...
- Não, não. - Interrompeu, o vendedor - A senhora se engana. Esse modelo faz muito sucesso no carnaval. Nos concursos pra Rei Momo... Podemos fazer isso sim. Evidente que o senhor teria que voltar uma pequena diferença...
- Húúúm. Tá legal. Negócio fechado.
Foram embora os dois. Ela com um par de seios alemães e ele com um abdômen tanquinho, felizes da vida.
A receptividade foi muito boa. As amigas morriam de inveja dos seios de Dona Sueli e os companheiros de boteco de Arnaldo já pensavam em fazer economia para investir num abdômen daqueles. Tudo ia as mil maravilhas, até que, certo dia, Arnaldo entrou pela porta, radiante:
- Tchâraaaammmm!
- Céus, Arnaldo. Que qui é isso??!!!
- Cabeleira Chanel Plus. Fui na loja e toda a linha “Metrosexual” tava em promoção. Não resisti. E aí, gostou?
- É...sim..., ficou bom! Mas...Loiro?? Por que Loiro??!!!!
- Oras, já que é pra mudar, então não tem que ficar regulando. - E balançou a cabeça, jogando os cabelos para frente e para trás. Tipo comercial de shampoo.
Sueli sentiu-se traída. Oras...Não era ele o tal amante do “in natura”?
No dia seguinte foi na loja e comprou um bumbum de dar inveja a qualquer mulata de escola de samba. Um arraso.
Arnaldo não deixou por menos, pegou suas economias e adquiriu um peitoral que, meu amigo, faria qualquer halterofilista dobrar a série de treino.
E assim, foi. Cada vez que um chegava com uma novidade, o outro fazia questão de dar o troco. Trocaram coxas, panturrilha, boca, costas, braço... Quando não tinham mais nada pra trocar, foram mudando as cores. Bronzeamento artificial, spraizinho “dourado Ipanema”, cabelo “loiro surfista”...
Não demorou muito e a coisa chegou num estágio insuportável.
O primeiro a pedir arrego foi Arnaldo. Não agüentava mais aquela maratona. A ficha caiu quando, ao ver o álbum de família, demorou uns dez minutos para conseguir se identificar na foto.
- Errr... Sueli. Tava pensando... Acho que tá na hora de pararmos com esse negócio de “reciclar” o corpo. Isso não tá fazendo bem pra gente... Por incrível que pareça, sinto saudades até do barrigão... Entende o que tô falando, Sueli?
-...
- Sueli!!??? Tô falando com você!
- “Sueli”, vírgula. Pode me chame de Tsuwana Lepair. Tá super na moda. É indiano com francês, ouviu bem. Fran-cês!!



Escrito por orlandeli às 09h30
[ ] [ envie esta mensagem ]



Condomínio Chulipa



Escrito por orlandeli às 10h21
[ ] [ envie esta mensagem ]



Droga do amor

Para o Diário. A matéria explica, biologicamente falando, o que acontece com o corpo de quem está apaixonado. São reações químicas, hormônios... entre outras coisas,  responsáveis por sensações como desejo, libido, carinho, saudade... etc



Escrito por orlandeli às 08h31
[ ] [ envie esta mensagem ]



Conquistador



Escrito por orlandeli às 08h23
[ ] [ envie esta mensagem ]





Também para o Diário. Fala sobre a influência do estado de espírito, e da fé em Deus, diante das doenças. A coisa é até interessante. Segundo a matéria se você pega uma gripe, mas está de bem com a vida, você simplesmente toma uma aspirina e vai trabalhar. Mas se você está triste, morreu alguém querido, fragilizado espiritualmente ... e pega a mesma gripe, aí ela te coloca de cama.

A matéria não fala exatamente sobre "intervenção divina", mas na forma como a pessoa encara e aceita esses problemas. Digamos que a pessoa que tem fé, consegue "aceitar" melhor algumas coisas.



Escrito por orlandeli às 08h23
[ ] [ envie esta mensagem ]



Borboleta

Matéria sobre "orelhas de abano". A idéia para essa ilustra resgatei dos meus tempos de infância. E cê sabe, moleque não perdoa... A frase clássica para essa situação era "Se demorasse mais cinco minutos, nascia uma borboleta". Maldade...



Escrito por orlandeli às 07h57
[ ] [ envie esta mensagem ]



Superman

Essa saiu no Diário da Região. A matéria era sobre profissionais bem preparados, comunicativos, eficiêntes, versáteis... Nada mais justo do que colocar o famoso "S" no peito do cidadão.



Escrito por orlandeli às 07h47
[ ] [ envie esta mensagem ]



[ ver mensagens anteriores ]
 



Histórico
Ver mensagens anteriores



Contato orlandeli@orlandeli.com.br Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis